Um sinal de esperança: CHTS inicia vacinação a profissionais

Começou, ontem, a vacinação contra a COVID-19 aos profissionais do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS). Foram, para já, recebidas 600 doses que vão ser administradas ao longo de três dias nos Hospitais de Penafiel e Amarante.

Carlos Alberto, presidente do Conselho de Administração do CHTS, diz tratar-se “numa luz de esperança para 2021, após um ano tormentoso, particularmente no CHTS que sofreu uma pressão enorme nesta segunda vaga. No entanto, mesmo com a vacina, ainda não se pode baixar a guarda”.

Alberto Silva, médico do Serviço de Urgência, foi o primeiro a ser vacinado no Hospital Padre Américo e, visivelmente emocionado, recorda os momentos difíceis vividos que, “mesmo com 42 anos de médico, marcam”. Sobre a vacina, assume, “não tenho qualquer receio, o receio é ser infetado”. Para o médico, a vacina significa “esperança, uma luz ao fundo túnel e, se Deus quiser, o princípio do fim desta pandemia”.

No Hospital de São Gonçalo, a primeira a receber a vacina foi Olímpia Cunha, médica do Serviço de Medicina Interna. Também não teve qualquer receio em ser vacinada, ainda que se trate de uma vacina nova, “temos que ter confiança, temos que debelar esta pandemia e a única forma de nos protegermos e criar imunidade de grupo é através da vacinação”.

Até ao final do dia de ontem, 29 de dezembro, foram vacinados 200 profissionais em Penafiel e 60 em Amarante.

A campanha de vacinação COVID-19 está ser organizada pelo Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho do CHTS, tendo sido mobilizados profissionais de vários serviços para administrar as vacinas e dar apoio à área de recobro.

Começou, ontem, a vacinação contra a COVID-19 aos profissionais do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS). Foram, para já, recebidas 600 doses que vão ser administradas ao longo de três dias nos Hospitais de Penafiel e Amarante.
Partilhar: